Atraso e falhas na internet prejudicam 'bate-papo' de Eduardo Campos | Diário Regional

Atraso e falhas na internet prejudicam ‘bate-papo’ de Eduardo Campos

16/03/2014 8:08
Print Friendly

Programa de Campos sofreu três horas de atraso. Foto: ArquivoMais da metade do bate-papo virtual convocado ontem (15) pelo governador de Pernambuco e presidenciável, Eduardo Campos (PSB), ficou comprometida por causa de três horas de atraso e problemas técnicos no áudio da transmissão em vídeo. Programado para começar às 11h30, o programa do governador, #EduardoResponde, transmitido ao vivo do Rio de Janeiro, começou somente por volta das 14h45.

Como se fosse um talk show, um apresentador lia algumas das perguntas feitas por internautas em redes sociais. O evento só começou algumas horas depois de concluído encontro para discutir as diretrizes do programa de governo, em centro de convenções na capital fluminense.

A transmissão durou cerca de 45 minutos, mas durante 26 minutos a fala do governador ficou inaudível para os internautas, que reclamaram na rede social onde o bate-papo era apresentado. O som começou baixo e as vozes estavam metalizadas. Mesmo quando o volume foi aumentado, era praticamente impossível entender o que Campos dizia.

“Se fosse pra começar assim, era mais fácil ser iniciado às 16h, mas com a correção do áudio”, afirmou o internauta Raí Crisan. “Queremos áudio padrão Fifa”, escreveu Henrique Freitas. “Eduardo, a sua equipe de áudio é do PT?”, questionou Tiago Cury.

Na mesma página em que os internautas reclamavam, a assessoria do presidenciável respondeu depois de algumas dezenas de reclamações: “Tivemos problemas técnicos que já foram solucionados.”

Críticas
Nos primeiros 26 minutos de entrevista, Campos falou sobre segurança pública, diplomacia, seca, saúde, educação e Bolsa Família. O áudio só ficou compreensível quando o governador começou a falar sobre economia e criticou mais uma vez o governo de sua provável adversária, a presidente Dilma Rousseff. “Não se arruma economia com decreto, com fala. É com trabalho”, disse o pré-candidato.

Ao comentar sobre a reforma tributária, voltou a atacar a petista. Disse que governos, com exceção do de Dilma, tentam fazê-la há 20 anos. “Não vimos nem a Dilma tentar fazer (a reforma)”, afirmou.
Campos defendeu que a reforma seja feita “no longo prazo” e “em fatias” e disse que é preciso reduzir a carga tributária no país. “Acho que a gente precisa ter menos impostos”, declarou.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: