Aos 41 anos, meia pentacampeão Rivaldo anuncia a aposentadoria | Diário Regional

Aos 41 anos, meia pentacampeão Rivaldo anuncia a aposentadoria

16/03/2014 7:30
Print Friendly, PDF & Email

Rivaldo, no Azulão: “fui além do que o corpo permitia”. Foto: ArquivoMelhor jogador do mundo em 1999 e destaque da Seleção Brasileira na campanha do pentacampeonato mundial, em 2002, o meia Rivaldo, 41, anunciou, ontem (16), sua aposentadoria. “Com lágrimas nos olhos, venho comunicar a todos os torcedores do mundo que minha história como jogador chegou ao fim”, escreveu Rivaldo no Twitter e Facebook.

O ex-meia afirmou que a decisão de encerrar a carreira foi tomada no meio da noite. “Acordei e, após alguns minutos de meditação, tomei essa decisão”, disse Rivaldo. Pernambucano de Paulista, Rivaldo começou a carreira no Santa Cruz e ganhou destaque no “carrossel caipira” do Mogi Mirim, no início dos anos 1990, antes de brilhar em times como Corinthians, Palmeiras e os espanhóis La Coruña e Barcelona. Em 1999, foi eleito pela Fifa como o melhor jogador do mundo.

Rivaldo foi peça fundamental na conquista do penta na Copa da Coreia e do Japão, em 2012. Jogou também no Milan, da Itália. No exterior, atuou ainda em times da Grécia, Uzbequistão e Angola. De volta ao Brasil, passou por Cruzeiro, São Paulo e São Caetano. Em 2014, voltou ao Mogi, do qual é presidente e realizou o sonho de jogar ao lado do filho Rivaldo Júnior.

“Muitos queriam que eu parasse antes, mas o futebol está no meu sangue”, afirmou Rivaldo. “Ultimamente, estava jogando por prazer.” Seu último jogo foi contra o São Bernardo, no último domingo, pelo Paulista. No empate por 1 a 1, Rivaldo festejou sua 900ª partida como profissional. O meia anotou 417 gols, sendo 34 em 74 jogos pela seleção principal.

“Construí minha carreira em cima de um milagre, saindo de Paulista, e vi um sonho distante se tornar realidade”, afirmou. Avesso a entrevistas e à badalação, o ex-meia reuniu os funcionários do Mogi nos vestiários para anunciar sua aposentadoria. “Quero que saibam que fui além do que meu corpo permitia”, afirmou Rivaldo – que, em alguns momentos, chorou.

Agora, somente presidente, Rivaldo concentra suas atenções no julgamento de segunda-feira que envolve o Mogi Mirim em ato de racismo.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: