Sistema para bloquear celular 'xing ling' começa a funcionar na segunda | Diário Regional

Sistema para bloquear celular ‘xing ling’ começa a funcionar na segunda

15/03/2014 14:42
Print Friendly, PDF & Email

As operadoras de telefonia móvel começam a testar, a partir da próxima segunda-feira (17), um novo sistema que vai bloquear chamadas feitas por celulares piratas. O bloqueio, no entanto, só será efetivo a partir de setembro. Até lá, na fase chamada “pré-operacional” do sistema, os aparelhos devem continuar funcionando normalmente.

A criação do Sistema Integrado de Gestão de Aparelhos (Siga), que vai possibilitar o bloqueio, atende a lei do setor de telecomunicações que diz que só podem funcionar aparelhos homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), ou seja, que comprovam o cumprimento de algumas exigências técnicas e, por isso, recebem o selo da agência.

O principal objetivo da Anatel e das empresas é retirar do mercado equipamentos de baixa qualidade, conhecidos como “xing ling”, e que normalmente entram no país via contrabando. A Anatel e as operadoras não têm ideia de quantos aparelhos não homologados funcionam hoje no país.

Quando identificar um aparelho falsificado ou original mas sem homologação no Brasil, o sistema deverá efetuar o bloqueio, que também vale para tablets. O objetivo do bloqueio é não apenas garantir a segurança dos clientes, expostos a riscos de radiação excessiva e de explosão das baterias dos aparelhos, mas também melhorar os índices de qualidade das teles.

Todo aparelho, incluindo tablets, sai da fábrica com um número de registro chamado IMEI. É uma espécie de RG ou chassi do equipamento. O chip, que é habilitado pela operadora, também tem código – batizado de IMSI. Assim, sempre que um aparelho é ligado, transmite às centrais das operadoras os dois números que permitem identificar quem está falando e em que aparelho.

Atualmente, essas informações possibilitam, por exemplo, identificar clientes em roaming internacional. Agora, haverá um cadastro nacional de IMEIs no país que será cruzado com o dos chips (IMSI). Assim, toda vez que um cliente estiver fazendo uma chamada, a operadora saberá se o aparelho é ou não legítimo.

Aviões fantasmas

Isso será possível porque também existe um catálogo mundial com todos os IMEIs válidos produzidos pelos diversos fabricantes. As operadoras sabem que um celular é pirata porque, em suas redes, aparecem como “aviões fantasmas”. Seus sinais são captados pelas antenas, mas sua identidade (RG) não aparece no “radar” das teles. Quando aparece, é duplicada (igual à de outro telefone) ou apresenta número inexistente no catálogo mundial de celulares.

O novo sistema das operadoras cruzará a lista de registros nacionais e estrangeiros para saber qual é autêntico. Caso seja pirata, o sistema decidirá, automaticamente, pelo bloqueio dos sinais.

O superintendente de Controle de Obrigações da Anatel, Roberto Pinto Martins, disse que os bloqueios só devem começar daqui a seis meses e que os usuários que usam aparelho irregular serão avisados antes de terem o serviço cortado. “Provavelmente teremos uma campanha (para orientar os usuários). Ninguém vai ter o aparelho desabilitado de um dia para o outro”, disse.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: