Tião Mateus quer reduzir despesas da Câmara de São Bernardo | Diário Regional

Tião Mateus quer reduzir despesas da Câmara de São Bernardo

14/03/2014 14:51
Print Friendly

Mateus foi questionado por não ter autorizado a auditoria nas obras do Anexo II - Foto: ArquivoO presidente da Câmara de São Bernardo, Tião Mateus (PT), quer marcar seu mandato pela redução de gastos. O petista informou que pretende superar, neste ano, os R$ 8,5 milhões devolvidos aos cofres da prefeitura no fim do ano passado. Para isso, o petista não quer fazer grandes despesas. Um exemplo é a criação da TV Câmara.

“De vez em quando eles (os vereadores) me perguntam sobre isso, mas temos de ver se há dinheiro. Aqui (na Câmara) já foi cotado (um projeto de TV) em R$ 12 milhões. Não vou gastar isso”, afirmou Tião Mateus. A proposta de uma TV para o Legislativo vem desde 2009, ainda na gestão de Otávio Manente (morto em 2011). Na época, o valor orçado para o serviço foi de R$ 9 milhões, mas foi descartado pela Casa.

No ano passado, Mateus cogitou novo projeto para que fossem transmitidas as sessões ordinárias, extraordinárias e solenes. Um requerimento chegou a ser aprovado pela Câmara, mas a proposta não foi adiante. Na época, alguns vereadores afirmaram que a transmissão poderia prejudicar a imagem da Casa, por causa da série de enfrentamentos ocorridos ao longo do ano entre base e oposição.

Para Tião Mateus, a Câmara não pode fazer gastos desnecessariamente. “Quando nós lidamos com dinheiro publico, temos de ser responsáveis, não podemos fazer besteira e estamos trabalhando com essa perspectiva. Enquanto eu estiver na mesa (diretora) não vamos gastar nada que não esteja dentro da previsão”, afirmou.

Entre os cortes feitos pelo petista à frente da Câmara estão os R$ 3 milhões anteriormente destinados à publicidade e à verba de representação. “Tinha gente que ganhava R$ 24 mil. Era um absurdo. Então decidi manter os salários, mas não haveria mais verbas de representação”, explicou. O corte da verba paga a alguns funcionários foi motivo de polêmica no Legislativo.

Críticas

Mesmo com a devolução dos R$ 8,5 milhões, Tião Mateus foi criticado por Fábio Landi e Rafael Demarchi (ambos do PSD) sobre a não contratação de empresa para fazer a auditoria nas obras do Anexo II, finalizadas em agosto de 2013. Os parlamentares consideram “estranho” o fato de a Casa não ter pago os R$ 450 mil – segunda menor proposta apresentada para o serviço – sendo que “estava sobrando dinheiro no caixa”.

“Somos muito responsáveis, não demos R$ 2 milhões (maior proposta oferecida) a uma empresa que não conhecemos e preferimos devolver o dinheiro (à prefeitura) ao invés de fazer a auditoria”, explicou Mateus. O petista revelou que chegou a receber proposta de R$ 150 mil para que auditoria saísse do papel.

Nos bastidores, comenta-se que a auditoria não saiu devido a um suposto acordo feito pelo ex-presidente Hiroyuki Minami (PSDB) com o Executivo. Pelo acordo, enquanto o tucano não apoiaria a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a compra de kits de material escolar, a prefeitura faria a articulação para que a auditoria não vingasse. O acerto, porém, nunca foi confirmado por ambos os lados.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: