Condomínio em Santo André reclama de conta de água | Diário Regional

Condomínio em Santo André reclama de conta de água

13/03/2014 10:22
Print Friendly, PDF & Email

Semasa informou que não está cobrando mais caro pelo esgoto oriundo de caminhão-pipa - Foto: Eberly Laurindo especial para o DROs moradores do Condomínio Vida Plena, no bairro Erasmo Assunção, em Santo André, sofrem há vários meses com falta de água. Para compensar o problema, os munícipes têm comprado água em caminhões-pipa, mas tomaram um susto com os valores da conta de água de fevereiro.

“Estão cobrando R$ 10 mil pela coleta de esgoto. Segundo um funcionário da Central de Atendimento, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) está cobrando quase R$ 15 o metro cúbico do esgoto gerado a partir da água do caminhão-pipa”, explicou André Ricardo Pontes, conselheiro do condomínio.

Segundo Pontes, o atendente alegou que com a compra da água o condomínio mudava da categoria de consumidor residencial, que a tarifa de R$ 0,23 por m³ de coleta de esgoto, para residencial, cuja tarifa de esgoto é de R$ 14,98 m³. “Apesar de termos utilizado emergencialmente o caminhão-pipa, não se pode dizer que o fornecimento de água seja efetuado desta forma. Foi um uso eventual, em uma situação de emergência, justamente causada pelo próprio Semasa que não realiza o fornecimento correto e, portanto, o valor que deveria ser considerado é referente à categoria residencial”, explicou.

“Nos apartamentos mais altos, é comum passar um dia todo com as torneiras secas, porque a pressão é pouca e a água não consegue chegar. Então, ficamos em uma situação muito difícil. Ou permanecemos sem água, ou compramos e pagamos muito mais pelo esgoto”, reclamou a moradora Andressa Dantas.

Cobrança

Em nota, o Semasa informou que não está cobrando mais caro pelo esgoto oriundo de caminhão-pipa, mas que a cobrança de todo o volume de água comprado em dezembro de 2013 e janeiro de 2014, totalizando 1.525 m³ e que o valor cobrado para categoria residencial é de R$ 6,93 por m³ para consumo acima de 50 m³.

Sobre o abastecimento, a autarquia ressaltou que “pode haver intermitência no fornecimento de água em razão do nível do reservatório Erasmo Assunção, que atende o bairro. Ainda sobre o abastecimento, a autarquia salientou que as obras de reforço na rede de água na avenida Jorge Beretta já começaram. As intervenções deverão beneficiar diretamente os moradores do condomínio com a melhora no fornecimento de água ainda este ano”.

As explicações da autarquia não foram bem recebidas pelos reclamantes. “De qualquer forma, estão aplicando a tarifa sobre o volume total, sem considerar que essa água foi dividida por quase 600 apartamentos. Ainda persiste um erro de cálculo”, argumentou Pontes.

Para o advogado especialista em Direito do Consumidor e professor da Faculdade de Direito de São Bernardo, Arthur Rollo, se o problema não for solucionado pela autarquia cabe uma ação judicial, já que o próprio Semasa admite que o abastecimento é intermitente. “Esse conceito é muito vago. As residências podem estar passando uma hora com abastecimento e outras 23 sem, ou o contrário”, completou.



1 Comentário

  • Ex Santo André

    Votem no PT se ele não for um bom partido nunca mais creiam em mim!

Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: