São Bernardo oferece modelo integrado de residência médica | Diário Regional

São Bernardo oferece modelo integrado de residência médica

12/03/2014 11:04
Print Friendly

Primeira turma de residência médica visitou ontem o Hospital Municipal de Clínicas - Foto: ArquivoUma visita ao Hospital de Clínicas Municipal José de Alencar, ontem (11), marcou a semana de recepção da primeira turma de residência médica de São Bernardo. Até então, o município recebia estudantes da Faculdade de Medicina do ABC, que não ficam exclusivamente na cidade. “É um incentivo para aumentar as vagas de residência nas áreas prioritárias, como ginecologia e pediatria. Quem paga a bolsa é o Ministério da Saúde”, explicou Denize Ornelas, da comissão de residência médica do município.

O processo seletivo foi realizado por meio do programa federal Pró-Residência, que aplicou a prova unificada para São Paulo, Guarulhos, Mauá e São Bernardo. Após a graduação em medicina o formando torna-se um médico generalista. Porém, para atuar em uma área específica é necessário lato-sensu, que no caso da medicina é feita na residência. “Aqui é diferente. A maioria das residências é vinculada a uma universidade, em hospitais universitários. Chamamos de ambiente protegido”, destacou.

Os residentes da cidade vão atuar em todos os equipamentos de saúde do município, Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPA), Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) e hospitais como o de clínicas. “O município fornece a estrutura. É um treinamento em serviço, fazendo as atividades do dia-a-dia”, esclareceu Denize.

A carga é de 60 horas semanais. Para áreas como pediatria e medicina da família a duração é dois anos, para psiquiatria e ginecologia obstetrícia são três anos. “Vão passar por todos os equipamentos. O programa teve início em 6 de março, até sexta (14) estarão em treinamento, na segunda (17) começam a atender”, pontuou. Os residentes passam por aulas teóricas, mas o durante o atendimento são acompanhados por um preceptor (especialista com experiência) com quem vão discutir os casos e esclarecer dúvidas.

Modelo integrado

Por focar no modelo integrado de saúde pública, o programa é procurado por residentes de outros estados. “Acredito que neste modelo que está sendo implementado em São Bernardo, vamos poder conhecer as necessidades reais das pessoas”, afirmou Brunna Noznica. Formada em 2010, a médica já atuava como generalista nas UBSs da cidade, mas para poder fazer a residência no município se demitiu, mesmo tendo que trocar o salário pela bolsa de R$2.930 paga pelo programa. “Escolhi me especializar em ginecologia obstetrícia. É a medicina que escolhe a gente, este é um momento de realização”, declarou Brunna.

Outra profissional atraída pelo programa diferenciado é Maria Augusta Cordeiro, recém-formada, que saiu de Goiânia (GO) apostando exclusivamente na proposta do município e não se inscreveu em outros processos seletivos. “É assim que deve ser, ver o paciente inserido na comunidade”, definiu Maria, que vai se especializar em saúde da família. Inicialmente, Maria pretende voltar para a cidade natal ao concluir o programa. “Goiânia ainda tem muito que se desenvolver na saúde”, pontuou.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: