Famílias do Jd. Silvina contam história de transformação de vida no Museu da Pessoa | Diário Regional

Famílias do Jd. Silvina contam história de transformação de vida no Museu da Pessoa

11/03/2014 14:10
Print Friendly, PDF & Email

Maria Magalhães Sobral deu depoimento para o museu - Foto: DivulgaçãoSÃO BERNARDO – Do passado temerário com noites mal-dormidas por conta dos riscos de deslizamentos e alagamentos, para uma realidade com perspectivas de realização. Esses são apenas alguns dos relatos de moradores do Jardim Silvina capturados por câmeras de vídeo para os arquivos do Museu da Pessoa, que, em parceria com a Secretaria de Habitação, vem desenvolvendo o projeto “Minha Casa, Minha Cara, Minha Vida” na cidade.

A iniciativa é patrocinada pela Assessoria Social e Pesquisa (ASP), responsável pelo trabalho social nos núcleos habitacionais daquela localidade. Hoje, a realidade das famílias é outra, com a conquista da casa nova. De 2009 para cá, o bairro já foi beneficiado com 1.072 unidades habitacionais, de um total de cerca de 4 mil já entregues no mesmo período em todo o município.

O projeto visa estreitar os laços das famílias com seu novo local de moradia. Os depoimentos coletados, segundo Tássia Regino, secretária de Habitação, farão parte de exposição que futuramente será feita na região do Silvina com os vídeos dos depoimentos e também com fotografias antigas e outras mais recentes feitas pelos próprios moradores, a partir da transformação de suas respectivas realidades a partir da aquisição da casa nova.

Beneficiada há cerca de um ano com um apartamento, a dona de casa Maria Magalhães Sobral, 42 anos, buscou na memória um momento do passado que espera esquecer em breve. O sonho da casa própria, conta, durou 20 anos. “Morei muitos anos em um barraco ao longo do córrego. Sempre que chovia colocava meus filhos pequenos no beliche porque a água invadia tudo. Uma vez fomos salvos pela vizinha, que nos ajudou a sair pelos fundos. Por pouco não fomos levados pela água. Agora mudou muito nossas vidas. Tive até depressão naquela época”, disse.

De acordo com a coordenadora do programa desenvolvido pelo Museu da Pessoa, Rosana Miziara, os depoimentos serão editados e em breve poderão ser vistos no portal da entidade (www.museudapessoa.net). Os depoimentos são tomados em um estúdio do próprio museu, montado na EMEB Nilo Campos Gomes (rua Flora Bulcão L. Vertemate, s/nº)

 



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: