Corinthians volta a depender do S.Paulo | Diário Regional

Corinthians volta a depender do S.Paulo

11/03/2014 14:00
Print Friendly, PDF & Email

Grafite comemora gol marcado contra o Juventus que salvou o Corinthians - Foto: ArquivoDez anos se passaram desde que o atacante Grafite salvou o Corinthians do rebaixamento do Campeonato Paulista de 2004. Agora, em 2014, o time alvinegro está, novamente, nas mãos do São Paulo, mesmo que em situação diferente. A equipe comandada pelo técnico Mano Menezes perdeu o clássico de domingo, por 3 a 2, e ficou com 20 pontos no Grupo B, dois a menos que o segundo colocado, o Ituano, que enfrenta justamente o São Paulo na próxima rodada, no Morumbi.

Se a equipe tricolor vencer o clube de Itu no domingo e o Corinthians fizer sua parte contra a Penapolense, fora de casa, o time do Parque São Jorge vai para a última rodada dependendo apenas de si para se classificar às quartas de final. O Botafogo, líder da Chave B com 28 pontos, já está garantido na primeira posição.

O cenário remete a 2004, quando o Corinthians vivia uma fase desesperadora no Campeonato Paulista. Na última rodada, a equipe que era então comandada pelo técnico Oswaldo de Oliveira perdeu para a Portuguesa Santista, em casa, por 1 a 0, e dependia de um triunfo do São Paulo sobre o Juventus para não ser rebaixado.

Classificado para as quartas de final, o técnico Cuca, então no clube tricolor, mandou um time misto a campo e o atacante Grafite brilhou com dois gols, apesar dos gritos da própria torcida para entregar o jogo e rebaixar o arquirrival. Não adiantou. O São Paulo venceu por 2 a 1 e o Juventus caiu para a Série A2.

Porém, esse episódio não foi único na histórica rivalidade entre os dois clubes. No Campeonato Brasileiro de 2009, por exemplo, o Corinthians era o fiel da balança tanto para São Paulo como para Palmeiras, que brigavam pelo título com o Flamengo até o último respiro. Na penúltima rodada, o Corinthians jogou contra o rubro-negro em Campinas.

Se vencesse, ajudaria os arquirrivais, mas perdeu por 2 a 0 e criou polêmica. O goleiro Felipe, que hoje joga justamente pelo Flamengo, revoltou os adversários porque não pulou para tentar defender um pênalti cobrado por Léo Moura, já no fim da partida.

Em 2010, ocorreu o inverso. No Brasileiro daquele ano, o time alvinegro lutava pelo título com o Fluminense, que tinha pela frente São Paulo e Palmeiras na antepenúltima e penúltima rodadas, respectivamente. Contra o time do Morumbi, aplicou goleada de 4 a 1. Depois, venceu a equipe alviverde por 2 a 1. O Corinthians ficou em terceiro lugar, atrás até do Cruzeiro.

Rivalidade gaúcha

Casos como esses não são exclusivos dos clássicos de São Paulo. Na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2009, muitos torcedores do Grêmio torceram contra o próprio time diante do Flamengo para prejudicar o maior arquirrival, o Internacional. A equipe tricolor foi até o Maracanã com uma formação reserva. Se o rubro-negro perdesse, bastaria uma vitória do Inter sobre o Santo André para ficar com o título. O time colorado ganhou por 4 a 1, mas viu o Grêmio ser derrotado por 2 a 1 no Rio.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: