Preço de imóveis desacelera no ABC, mas ainda aumenta acima da inflação | Diário Regional

Preço de imóveis desacelera no ABC, mas ainda aumenta acima da inflação

08/03/2014 9:46
Print Friendly, PDF & Email

O mercado imobiliário parece não dar a mínima para a atividade econômica vacilante. Prova disso é que o preço médio de imóveis prontos mantém trajetória de alta no ABC, embora em ritmo menos intenso do que no segundo e terceiro trimestres de 2013, quando os aumentos superaram a casa de 1% na maioria dos meses.

Em fevereiro, o preço médio do metro quadrado dos apartamentos aumentou, na comparação com o mês anterior, 0,79% em São Caetano, 0,76% em Santo André e 0,67% em São Bernardo, mostra o Índice FipeZap, apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o portal Zap Imóveis.

Nos três casos, os aumentos superaram a inflação de 0,63% projetada para fevereiro pelo mercado para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país. Com isso, o preço médio do m² subiu para R$ 5.335 em São Caetano, R$ 4.621 em Santo André e R$ 4.371 em São Bernardo.

Desde janeiro de 2012, quando as três cidades da região foram incluídas no Índice FipeZap, os preços registram 26 aumentos mensais consecutivos. No ano passado, o metro quadrado de residências subiu 9,5% em São Bernardo, 11,5% em São Caetano e 11,6% em Santo André, contra IPCA de 5,91%.

No acumulado do primeiro bimestre, os preços subiram 1,56% em Santo André, 1,39% em São Bernardo e 1,61% em São Caetano, contra inflação projetada no período de 1,18%. Das 16 cidades pesquisadas, em apenas quatro o preço do metro quadrado perdeu para o IPCA: Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre e Curitiba.

“O aumento no preço dos imóveis no país deve-se, principalmente, a três fatores: demográfico, mercado de trabalho favorável e crédito imobiliário com condições melhores – leia-se juros e prazos de financiamento. Os anos de 2012 e 2013 refletiram essa tese”, afirmou Eduardo Zylberstajn, coordenador do Índice FipeZap.

Zylberstajn adverte, no entanto, que os preços começaram 2014 mais “comportados” e sinalizam desaceleração – que pode ser creditada à redução da demanda, típica do início do ano, decorrente das férias e do acúmulo de despesas, como material escolar e Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Questionado sobre as perspectivas para os próximos meses, Zylberstajn afirmou que o Brasil será sede da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o que deve afetar o comportamento dos preços nas cidades que vão receber os jogos, já que esses locais estão recebendo obras de infraestrutura e melhorias urbanas.

O efeito será semelhante no ABC, que receberá em 2018 a Linha 18-Bronze do Metrô, que ligará a estação Tamanduateí, na Capital, a São Bernardo passando por Santo André e São Caetano – o edital para construção do trecho foi lançado em janeiro. “Qualquer mudança urbanística positiva na região traz, como consequência, boas perspectivas para o setor imobiliário e, por extensão, valorização dos imóveis”, disse Zylberstajn.

No dia 20, o Zap Imóveis realizará evento abordando o panorama do mercado imobiliário e internet no Brasil. O evento ocorre no Hotel Mendes Plaza (avenida Marechal Floriano Peixoto, 42), em Santos.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: