Sebastião Salgado narra as origens de seu trabalho como fotógrafo | Diário Regional

Sebastião Salgado narra as origens de seu trabalho como fotógrafo

07/03/2014 13:00
Print Friendly

Foto: DivulgaçãoSÃO PAULO – Nas ilhas Galápagos, arquipélago na costa do Equador, Sebastião Salgado engatinhou um dia todo com uma tartaruga gigante, só para poder fotografar melhor o bicho.

“Fiquei agachado e comecei a caminhar na mesma altura que ela, com palmas e joelhos no chão”, conta.
Salgado, 70, decidiu abrir sua biografia, que chega agora às livrarias, com esse relato, dando a entender que embora mostre sempre um instante decisivo, chegar a esse momento exige tempo.

“É aquela brevidade que se materializa na fotografia, mas você precisa caminhar 800 quilômetros para fazer”, diz o fotógrafo, em entrevista à reportagem. “É necessária uma vida para fazer tudo isso.” Tanto que seus projetos costumam consumir anos e envolvem longas viagens ao redor do planeta, do Equador até o coração da África.

Miséria e decadência

Um dos nomes mais celebrados da fotografia, Salgado fez de sua carreira um testemunho de um mundo em transição, focando a miséria humana em sociedades agrárias ou economias industriais em plena decadência para compor uma “arqueologia visual dessa era antes que ela fosse varrida para longe”. “Foi uma opção de vida, fiz tudo com a maior honestidade intelectual”, diz Salgado.

“Fotografia é minha vida, mas não acho que sozinhas as minhas imagens foram determinantes. Me vejo como parte de um corpo de ideias, discutindo temas essenciais da nossa história.”

Em cinco entrevistas à amiga Isabelle Francq, que escreveu a biografia Da Minha Terra à Terra, Salgado destrincha os primórdios desse fazer fotográfico, começando pelas origens de seu olhar.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: