Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema pede 10% de reajuste | Diário Regional

Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema pede 10% de reajuste

02/03/2014 4:52
Print Friendly

Michels concedeu aumento de 6,87% aos servidores em 2013 - Foto: ArquivoO Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema (Sindema) deu início à campanha salarial deste ano. A categoria protocolou, na última sexta-feira (28), a pauta de reivindicações no gabinete do prefeito Lauro Michels (PV), contendo 25 itens que serão negociados junto à administração nos próximos dias. A pauta aprovada na última quarta-feira (26), durante assembleia realizada na sede do entidade, prevê reajuste salarial de 10%, sendo 6,42% de reposição integral da inflação segundo o Índice de Custo de Vida (ICV) do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e 3,58% de aumento real.

Com data-base em março, a negociação com o chefe do Executivo deve ter início na próxima quarta-feira (5), data que marca o retorno de Michels aos trabalhos. Além do reajuste salarial, a categoria também pede estabelecimento de política de reposição das perdas salariais entre 1997 e 2004, que totalizam 51,18%. Abono de natal de R$ 1 mil para todos os servidores, a ser pago em novembro, a implementação de um Plano de Cargos, Salários e Carreira que estabeleça adequação da tabela salarial e crie sistema de promoção e progressão.

Vale refeição

A categoria também reivindica reajuste do vale refeição para R$ 25 por dia, mesmo valor pago aos funcionários da Câmara. Segundo a direção do sindicato, a prefeitura paga apenas R$ 6 por dia pelo vale e cerca de mil funcionários têm direito ao benefício. O funcionalismo quer ainda aumento no vale alimentação, passando dos atuais R$ 230 para R$ 400.

Entre outros itens que constam na pauta está o pedido de aumento do valor do subsídio do convênio médico pago pela prefeitura de R$ 64 para R$ 104, de forma que o valor do repasse corresponda a 50% do plano básico familiar. Em nota, a direção do sindicato disse que espera que o prefeito abra o diálogo com os funcionários e atenda às reivindicações.

Mesmo enfrentando problemas financeiros logo que assumiu a prefeitura, Michels concedeu, no ano passado, reajuste de 6,87% fracionado em duas etapas: 5,45% no mês de maio, e 1,35% a partir de julho. À ocasião a administração alegou que reajuste salarial implicaria em aumento de R$ 30 milhões na folha de pagamento.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: