Regina: 'expansão do metrô foi conquista minha' | Diário Regional

Regina: ‘expansão do metrô foi conquista minha’

02/03/2014 4:58
Print Friendly, PDF & Email

“Diadema não fazia parte dessa linha de expansão” - Foto: Eberly Laurindo/Especial para o DRUma das articuladoras para a extensão da linha 17- Ouro do metrô para Diadema, cujo projeto inicial previa a construção do trajeto entre os bairros do Morumbi e Jabaquara, a deputada estadual Regina Gonçalves (PV) se orgulha da conquista. Em entrevista ao Diário Regional, a parlamentar revelou como foi o processo de negociação com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) para que o traçado pudesse contemplar a cidade. Além da vinda do metrô, Regina também falou sobre outros projetos que foram alcançados não apenas para Diadema, mas para o Estado. Primeira suplente do PV na Assembleia Legislativa, a deputada revelou que não vê problemas em devolver a cadeira para que o secretário estadual de Saneamento e Energia, Edson Giriboni (PV), possa disputar a reeleição. “O que importa é o trabalho que desenvolvi em três anos. Fiz conquistas para Diadema que nenhum outro deputado conseguiu trazer”, afirmou Regina.

Que avaliação a senhora faz do seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa?

Um importante projeto para o Estado e que foi aprovado garante a isenção de taxas na retirada de segunda via de documentos às pessoas que foram vítimas de catástrofes naturais (inundações, deslizamentos) que são comuns em todo começo de ano. Isso é importante, porque quando a pessoa perde tudo e precisa provar quem realmente é acaba não tendo o documento. Então, tinha que pagar para o Estado e agora elas são isentas.

Além disso, outro projeto importante foi uma emenda que fiz na relatoria da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) por dois anos consecutivos foi a regionalização do orçamento. É uma aquisição para o Estado, pois permite demonstrar regionalmente onde se está. É um processo que possibilita maior transparência dos recursos.

A educação é uma área que tenho me dedicado. Só no último ano, foi enviado para Diadema um investimento na ordem de R$ 27 milhões para a revitalização das escolas. Nunca houve uma presença tão constante do Estado na busca reformas dos espaços existentes. É uma área que ninguém nunca deu tanta atenção.

A senhora participou do diálogo junto ao governo do Estado para a expansão do metrô à Diadema. Como foram as conversas?

O grande avanço para Diadema foi o metrô. Quando assumi os trabalhos na Assembleia, em 2011, Diadema não fazia parte dessa linha de expansão. A cidade tinha sido excluída e quando o traçado foi discutido, decidiu-se que as cidades de Santo André, São Caetano e São Bernardo fariam parte do plano. Nós, que estamos ao lado de São Paulo, ficamos fora do projeto. Desde então, tenho conversado com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) – e ele tem apostado nesse projeto. Mostrei que era possível e o prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV) também participou dessa discussão. Tivemos algumas dificuldades no começo, mas a Secretaria de Transportes Metropolitanos já está estudando um possível traçado. Houve um erro, no passado, por Diadema não ter sido incluída na discussão. A expansão do metrô para Diadema foi uma conquista minha. Com muita perseverança, agradeço ao governador por ter aceitado o projeto.

A ideia do projeto é fazer o traçado até Diadema margeando a rodovia dos Imigrantes?

Exatamente. O traçado será margeando a Imigrantes, assim o número de desapropriações e os impactos ambientais em áreas de alta densidade não seriam tão contundentes. Pelo traçado que estou discutindo, serão seis estações. Será um investimento na ordem de R$ 4,2 bilhões. No momento, o plano é encerrar a linha no Terminal Diadema.

Como a senhora encara os discursos de outros deputados sobre a expansão do metrô para a cidade?

É natural um discurso de quem não conhece Diadema. Quem fala isso é o mesmo responsável pela relatoria do metrô e que excluiu Diadema. Só gostaria de saber por que não incluiu Diadema se tem tanta preocupação com a cidade? Só porque na época o governo da cidade era PT e no Estado, PSDB. É nisso que o PV ganha vantagem, deixamos as questões partidárias de lado e discutimos o melhor para a população. Na atual conjuntura, é natural muita gente querer ser o pai da criança. Agora, por que quando houve a oportunidade não brigou pelos interesses da cidade?

A senhora também participou do diálogo em relação à regularização fundiária no Sítio Joaninha, Iguassu e Complexo Caviúna. Como foram as negociações para a liberação da licença ambiental?

É muito importante participar deste momento. A aprovação da licença ambiental mostra que conseguimos colocar no mesmo caminho a Habitação Social e o Meio Ambiente. Novamente Diadema quebra um paradigma e será pioneira na questão Social e Ambiental. Há 33 anos buscamos essa oportunidade. Desde 2007 a licença não era liberada, pois o projeto apresentado na ocasião não atenderia todas as exigências ambientais. Foram 14 meses de intensas reuniões (desde o início de 2013). É uma conquista de um valor inestimável e agora passamos ter uma luz no fim do túnel.

Há uma informação de bastidor que o secretário estadual de Saneamento e Energia, Edson Giriboni (PV), pretende voltar a ocupar a cadeira na Assembleia Legislativa para disputar a reeleição em outubro deste ano. Com isso, a senhora, enquanto primeira suplente deixaria de ocupar a vaga. Como vê essa questão?

Ninguém nunca negou que sou suplente e é natural que eu deixe de ocupar a vaga caso ele volte para a Assembleia. Mas, há outras coisas envolvidas. Agora, prefiro aguardar a decisão do governador antes de comentar o assunto. Estou tranquila com a volta do Giriboni. O que importa é o trabalho que desenvolvi em três anos. Trouxe realizações para Diadema que nenhum outro deputado conseguiu. Fui eleita pela população de Diadema e estou feliz por poder representar o povo da minha cidade.

A senhora citou diversas vezes a parceria com o governador. O prefeito Lauro Michels, porém, disse que vai apoiar Alckmin mesmo que o PV lance candidato próprio ao Palácio dos Bandeirantes no pleito de outubro. A senhora concorda com Michels?

Devemos separar um pouco as coisas. Temos uma relação com o governador de extrema transparência e lealdade. O PV é uma bancada que faz parte do governo. Somos a terceira maior bancada e é comum uma discussão de governabilidade. O PV ter uma candidatura própria como está se desenhando é legítimo e não inviabiliza nosso diálogo com o governador. Acho que o prefeito tem o papel dele enquanto gestor da cidade e é consequência ter uma boa relação com o governador. Ao invés de semearmos algo excludente, com o tempo vocês vão perceber que tudo está sendo feito clareza e respeito.

A senhora já está articulando seu projeto de reeleição?

Ampliei muito e estou presente em outras 105 cidades do Estado, principalmente, em Diadema. Tenho me debruçado diariamente sobre os problemas da cidade. É um primeiro mandato e quando cheguei tive que me ambientar com os trabalhos, mas acho que consegui desenvolver bom trabalho sempre com devido respeito aos demais colegas.

Que avaliação a senhora faz do governo do prefeito Lauro Michels?

Avalio um ano com muitas dificuldades de ordem administrativas financeiro. O Lauro teve muita coragem para tomar decisões necessárias e não tenho dúvida de que o pior já passou e vamos começar a dar respostas à população. Pegamos um governo de 30 anos do mesmo grupo político. Pegamos uma cidade com várias ações judiciais sendo executadas. Uma prefeitura com várias irregularidades, fornecedores em atraso e que nem se quer as férias dos funcionários foram pagas.

 

 



3 Comentários

  • Luigi Moreira

    Parabéns Deputada Regina pelo ótimo trabalho que vem fazendo, e pelo beneficios conquistados para nossa cidade.

  • Engraçado como as pessoas gostam de criticar, com certeza essa será uma grande conquista para nossa cidade, criticar isso e fazer a politica do quanto pior melhor, e tem mais, onde que está sendo cobrada a integração, o Governador junto com nosso Prefeito e a nossa Deputada já disse que não vai haver a cobrança, apesar do PT está torcendo muito para que essa cobrança acontece-se….. Uma coisa é certa nunca vi um Deputado ou Deputada, que conseguiu trazer tanto recurso para nossa cidade como a Regina… Parabéns, Diadema agradece.

  • José Maia

    É engraçado como político no Brasil pensa que deve ser reconhecido quando faz o mínimo que seu trabalho exige. Se tivesse força mesmo teria vencido a Metra, que é quem pressiona o Governo para que sejam instaladas as catracas e haja cobrança nos dois Terminais da cidade, alegando prejuízo. Ora a mesma Metra que diz ter prejuízo não libera o trecho Diadema-Jabaquara para que o mesmo sem muitos custos seja usado para que o VLT possa ter um percurso mais curto e garanta que a população diademense chegue ao Jabaquara com um pouco mais de dignidade. Agora para adular a Metra o Governo do Estado e a Regina, irão onerar ainda mais os cofres públicos e fazer novo traçado aumentando os custos e tempo de conclusão da obra. Pode se justificar, mas o Estado não pode quebrar o contrato, certamente que não, para isso ha indenizações e se há prejuízo, não seria mais fácil ainda? Acontece que a Metra não tem prejuízo nenhum!Parabéns Regina não fez mais que sua OBRIGAÇÃO, ou está trabalhando de graça?

Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: