Em ação contra o tráfico de bebês, 382 crianças são resgatadas | Diário Regional

Em ação contra o tráfico de bebês, 382 crianças são resgatadas

01/03/2014 10:27
Print Friendly

SÃO PAULO – A polícia chinesa deteve 1.094 pessoas e resgatou 382 crianças em repressão nacional contra quatro redes on-line de tráfico de bebês, disse ontem (28) a mídia estatal. Os criminosos se aproveitam da ansiedade dos cidadãos para escapar dos rígidos controles populacionais.

O tráfico de crianças é bastante disseminado na China, onde as regras de controle populacional incentivam uma já tradicional preferência por meninos, por prover um melhor apoio a pais idosos e serem vistos como herdeiros do nome da família, o que tem levado ao aborto, assassinato e abandono de meninas.

Cerca de 118 meninos nascem para cada 100 meninas no país mais populoso do mundo, ante uma média global de 103 a 107 meninos a cada 100 meninas. O desequilíbrio tem gerado uma demanda criminosa por bebês do sexo masculino sequestrados e comprados, assim como por bebês do sexo feminino com o objetivo de se tornarem noivas, atraindo dotes em regiões pouco povoadas.

“Traficantes de crianças agora levaram a briga para a Internet, usando a ‘adoção não-oficial’ como fachada”, disse um policial, segundo a agência de notícias estatal Xinhua. “Estão bem escondidos e são muito furtivos.”

Os traficantes usam sites com nomes como “Rede de Órfãos da China” e “Casa de Adoção dos Sonhos”, destacando uma tendência de fechar os negócios online, o que dificulta a caçada aos criminosos. Não ficou esclarecido quais medidas seriam tomadas pelas autoridades para devolver os bebês resgatados a seus pais.

Em outro artigo, a Xinhua alertou os pais a tomarem cuidado com sequestradores que se disfarçam de enfermeiros em hospitais ou ficam à espera na entrada de escolas para colocar crianças em vãs e garupas de motos.

Na semana passada, a China disse que iria aliviar o controle familiar ao permitir milhões de famílias a terem dois filhos, na mais significativa liberação de sua rígida política de filho único em três décadas.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: