PT presidirá Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal | Diário Regional

PT presidirá Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal

27/02/2014 7:00
Print Friendly

BRASÍLIA – Eleito ontem (26) em votação apertada para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o deputado Assis do Couto (PT-PR) integra a Frente Parlamentar contra o aborto da Casa e já enfrenta críticas de parte de ativistas nas redes sociais.

O petista teve dez votos e Bolsonaro (PP-RJ), considerado um dos parlamentares mais conservadores da Câmara. A candidatura de Bolsonaro foi articulada por Marco Feliciano (PSC-SP), que comandou a comissão no ano passado e foi alvo de críticas de ativistas gays e negros. Sua atuação gerou crise na Câmara e chegou a ameaçar os trabalhos da Casa.

O placar apertado da votação mostra que a bancada evangélica continua com influência na Comissão e que os debates daqui pra frente serão decididos em disputas acirradas. Das 18 cadeiras titulares, os religiosos ficaram com oito, mas ainda indicaram cinco suplentes.

Aborto

O petista eleito é ligado à agricultura familiar e considerado de perfil mais moderado. Porém, sua escolha desagradou alguns militantes de direitos humanos, que criticaram a opção por um deputado sem sólida trajetória na área e com posições tidas como conservadoras.

Sobre o aborto, admitiu que é pessoalmente contrário à interrupção da gravidez de forma indiscriminada, mas afirmou que suas convicções não vão interferir nos debates do colegiado. “Sou católico, tenho um princípio familiar que é contra o aborto de forma indiscriminada, aberta. No entanto, tenho um entendimento de que o Estado tem um papel, tem um problema de saúde pública gravíssimo em torno dessa questão e que muitas vezes escondemos isso atrás de uma questão religiosa”, disse.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: