Banco Central reduz ritmo de alta da Selic, que vai a 10,75% | Diário Regional

Banco Central reduz ritmo de alta da Selic, que vai a 10,75%

27/02/2014 10:32
Print Friendly

SÃO PAULO – Com as perspectivas de crescimento econômico em queda neste ano eleitoral, o Banco Central decidiu moderar o ritmo de alta dos juros.

Em decisão unânime, a autoridade monetária informou que a taxa Selic, referência para o rendimento das aplicações financeiras e para o custo dos empréstimos bancários, subirá de 10,5% para 10,75% ao ano.

Até então, a taxa havia sido elevada seis vezes consecutivas em 0,5 ponto porcentual, na tentativa de conter a inflação – que está acima das metas oficiais desde o fim do governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Lacônico, o BC relatou, no texto, estar “dando prosseguimento ao processo de ajuste da taxa básica de juros, iniciado na reunião de abril de 2013”.

A medida leva os juros de volta ao mesmo porcentual em vigor no início do mandato da presidente Dilma Rousseff, que fez da queda das taxas uma de suas bandeiras políticas.

Um ano atrás, a Selic estava em apenas 7,25%, o menor patamar desde que a taxa foi criada, em 1986. O recorde, porém, não resultou na esperada aceleração do consumo e dos investimentos.

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013, a ser divulgado em números precisos hoje (27), ficou em torno de 2%. Para este ano, analistas e investidores esperam expansão ainda mais baixa.

Além da debilidade econômica, outros movimentos do governo e do mercado financeiro provavelmente contribuíram para a decisão de elevar menos os juros, mesmo com os preços ainda subindo bem acima do desejado.
A iniciativa mais vistosa foi o anúncio da meta de superavit primário – a poupança que os governos fazem para o abatimento da dívida pública – para 2014 equivalente a 1,9% do PIB.

O porcentual é o mesmo atingido em 2013, que foi mais baixo desde 1998, e a maior parte dos analistas nem mesmo acredita em seu cumprimento integral.

Sua divulgação serviu ao menos para mitigar as expectativas de disparada de gastos públicos.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: