Câmara de Santo André aprova desconto na conta de água | Diário Regional

Câmara de Santo André aprova desconto na conta de água

26/02/2014 8:55
Print Friendly, PDF & Email

Grana: “podemos dar esse desconto sem nenhum comprometimento das finanças do Semasa” - Foto: Eberly Laurindo especial para o DROs vereadores de Santo André aprovaram o projeto de lei que concede desconto de 30% para as imóveis residenciais que reduzirem o consumo de água em 20% em relação à média registrada nos últimos seis meses. Foram 18 votos favoráveis à iniciativa semelhante a da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

A medida valerá para as faturas de março, abril e maio. Recentemente o prefeito Carlos Grana (PT) declarou que o desconto não vai interferir negativamente nas finanças do Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André (Semasa). “Podemos dar esse desconto sem nenhum comprometimento da saúde financeira da autarquia”, destacou.

A falta de água é um problema recorrente no município, em especial, desde o fim do ano passado. O Semasa, inclusive, realiza uma série de campanhas educativas contra o desperdício de água, como diminuir tempo de banho e evitar lavar calçadas com mangueiras. Os parlamentares também costumam reclamar do abastecimento precário, em especial em bairros do segundo subdistrito.

Os vereadores Roberto Rautenberg (PTB) e Ailton Lima (SDD) se reuniram com a diretora-presidente da Sabesp, Dilma Pena, em outubro do ano passado, a qual culpou a tubulação defasada e antiga da cidade por problemas de distribuição. No mês seguinte, Dilma Pena foi convocada pelas Comissões de Assuntos Metropolitanos e de Infraestrutura da Assembleia Legislativa, a pedido do vereador Eduardo Leite (PT), e usou o mesmo argumento.

O Legislativo uma audiência pública amanhã (27), às 19 horas, para debater o assunto. O superintendente do Semasa, Sebastião Ney Vaz Jr, deve estar presente. Apesar de convidada, a diretora-presidente da Sabesp, não confirmou presença.

Educação

A Câmara também autorizou a concessão do prédio da Escola Júlio de Grammont por 30 anos ao governo federal. O espaço abrigará cursos técnicos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) e a prefeitura se comprometeu a realizar duas audiências públicas para escolher quais cursos profissionalizados serão ofertados.

 



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: