Homicídios aumentam 28% no ABC | Diário Regional

Homicídios aumentam 28% no ABC

25/02/2014 10:26
Print Friendly

Foto: ArquivoPela 12ª vez, o ABC registrou alta no número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar). Em janeiro de 2013 foram registrados 27 crimes desse tipo, contra 30 ocorridos no mesmo mês de 2014, aumento de 27,55%. Desde janeiro de 2013, a comparação com os períodos do ano anterior (janeiro a fevereiro, janeiro a março, assim por diante) tem apresentado constantes aumentos, com exceção do período de janeiro a novembro, quando o número de crimes dessa natureza foi igual (250 ocorrências) nos dois anos da comparação. Os dados foram divulgados ontem (24) pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

O número de furtos e roubos diversos aumentou 7,4%, passando de 4.246 casos em janeiro de 2013 para 4.560 no mesmo mês deste ano. Furtos e roubos de veí­culos apresentaram alta de 27,55%: 1.746 crimes no ano passado e 2.227 neste ano. Latrocínios e estupros registraram queda de 43% e 15%, respectivamente.

O especialista em segurança pública e privada Jorge Lordello afirma que mais do que aumento nos índices criminais, chama a atenção a maior presença de violência nos crimes cometidos. “Há dez anos, para cada roubo de veículo, aconteciam dez furtos. Hoje, a proporção é de nove furtos para cada dez assaltos (roubo e assalto são os crimes cometidos com arma ou outro objeto que intimide a vítima; no furto não há presença da vítima). Ou seja, há uma mudança de hábitos, uma mudança de comportamento muito grande dos criminosos”, declarou.

Segundo Lordello, essa mudança se dá por diversos fatores, dentre os quais o aumento no número de viciados em crack. “É uma droga de alto poder destrutivo, que desestabiliza e tira as pessoas do convívio familiar. Longe da família, o viciado se torna uma pessoa sem limites, sem freios, e normalmente sustenta seu vício cometendo crimes”, pontuou. O aumento nas ocorrências de tráfico de drogas também é um dos motivos apontados pelo especialista, já que o traficante sempre precisa de dinheiro para comprar armas e as próprias drogas.

“Vivemos também a antecipação das fases da vida. Os jovens vivenciam precocemente diversas coisas, que as gerações passadas demoraram mais, e isso se reflete também em toda uma massa de pessoas, com pouca idade, que já comentem crimes”, afirmou. “A impetuosidade inata da juventude, a baixo temos por prisão e punições, já que menores não respondem pelos seus crimes, somados ao tráfico e às drogas colaboram com essa situação”, completou.

Atuação

Para o especialista, a alternativa é a atuação em três frentes distintas: capacitar pais, professores e líderes no trabalho de prevenção, para evitar o contato de crianças e adolescentes com drogas lícitas e ilícitas; saber lidar com o usuário que ainda não está em um grau avançado de dependência e oferecer tratamento adequado aos que já estão prisioneiros das drogas. “É preciso resgatar a juventude”, concluiu.

Sobre a situação específica do ABC, que vem apresentando altas constantes em todos os principais índices criminais, o especialista destacou que a região possui muitas rotas de fuga, o que facilita a dispersão dos criminosos pelo território, especialmente nos casos de roubo e furto de veículos.

grafico_homicidios

Região Metropolitana tem queda de 22% nos latrocínios

A Região Metropolitana registrou redução de 22,22% no número de latrocínios em janeiro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Foram contabilizados sete casos, ante nove em igual mês de 2013. A queda contribuiu para que os latrocínios estagnassem no Estado em janeiro, em relação ao mesmo mês de 2013.

No primeiro mês deste ano foram registrados 115 homicídios dolosos, contra 113 em janeiro de 2013. Porém, o indicador fechou o ano com queda de 8,12% em relação a 2012. Os dados fazem parte das estatísticas criminais divulgadas ontem (24) no site da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Furtos e sequestros

Embora a maioria dos indicadores de crimes contra o patrimônio tenha crescido na Região Metropolitana de São Paulo, houve menos furtos no mês. Com 6.495 casos registrados em janeiro deste ano, a redução foi de 2,94% em relação ao mesmo mês de 2013. As estatísticas mostram, ainda, que as extorsões mediante sequestro ficaram zeradas em janeiro, na região. O indicador havia contabilizado dois casos no primeiro mês do ano passado.

Furtos caem e latrocínios estagnam

O Estado de São Paulo registrou queda de 2,9% no número de furtos em janeiro deste ano em relação ao mesmo período de 2013. Foram 1.422 furtos a menos, de 49.193 casos em janeiro no ano passado para 47.771 em 2014. É a maior redução poercentual do indicador para janeiro nos últimos quatro anos. Os dados fazem parte das estatísticas criminais divulgadas ontem (24) no site da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Os latrocínios – roubos seguidos de mortes – estagnaram no último mês. Foram registrados 34 latrocínios em janeiro de 2014, mesmo número do ano anterior. Em 2013 houve crescimento de 10% no número de latrocínios em relação a 2012. A estabilidade do indicador de criminalidade no Estado foi acompanhada de queda de 6,7% desse tipo de crime na Capital e de 22,22% na Região Metropolitana de São Paulo.

As prisões em flagrante e em cumprimento de mandado judicial, tanto pela Polícia Militar como pela Civil, cresceram 1,6% e atingiram recorde na série histórica para janeiro. Foram realizadas 13.342 prisões no mês passado, ante 13.127 em janeiro de 2013, que era o maior número até então.

Foram retiradas das ruas 1.594 armas de fogo no mês passado, o que representa aumento de 7% em relação a janeiro de 2013, que registrou 1.489 equipamentos apreendidos. Esse é o maior número de apreensões de armas nos últimos cinco anos. O índice de veículos recuperados subiu 14%, com 9.135 casos em janeiro deste ano, contra 8.011 no mesmo período do ano passado.

Homicídios

Os homicídios dolosos tiveram aumento de 1,20% em janeiro. Com 422 casos registrados, o crescimento acontece depois de o Estado fechar 2013 com queda de 8,2%. Ao analisar a série histórica do indicador de criminalidade nos últimos dez anos, é possível perceber queda de 60% nos homicídios dolosos em São Paulo. O número de roubos cresceu 32,5% no mês passado. Foram 26.987 casos em todo o Estado, contra 20.371 no mesmo período do ano passado.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: