Polícia prende torcedores corinthianos e vai investigar clube | Diário Regional

Polícia prende torcedores corinthianos e vai investigar clube

21/02/2014 9:23
Print Friendly

Homens da Polícia Civil prendem integrante de torcida organizada do Corinthians - Foto: Hélio Torchi/Estadão ConteúdoA escassez de imagens da invasão do centro de treinamento do Corinthians atrapalha a investigação da Polícia Civil. Dos cerca de cem invasores, apenas cinco foram identificados e tiveram mandados de prisões expedidos. A Operação Hooligans, deflagrada ontem (20), prendeu 13 integrantes de torcidas organizadas do clube. Horas depois, dez foram liberados.

A operação foi feita nas quadras das três principais torcidas organizadas do clube (Gaviões da Fiel, Camisa 12 e Pavilhão 9) para prender os torcedores envolvidos na invasão ao CT. Contou com 90 policiais e 11 delegados, que esperaram as chegadas dos ônibus que traziam os torcedores de São José do Rio Preto, onde o clube havia derrotado o Oeste por 2 a 1.

A reportagem apurou que a ausência de imagens irritou o comando da investigação. De acordo com o clube, das 22 câmeras de segurança no CT, 20 falharam e não guardam registros. “Dizem que o equipamento apresentou falha bem no momento da invasão. Pontualmente no horário”, disse a delegada responsável pelo caso, Margarette Barreto.

A invasão aconteceu no último dia 1º. O atacante Guerrero foi um dos agredidos pelas organizadas. Funcionários foram ameaçados, e celulares, roubados. As imagens entregues à polícia pelo presidente Mario Gobbi não mostram nada disso. “Exibem apenas a invasão ao local. Nada mais que isso”, disse Elisabete Sato, diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A estranheza com as poucas imagens é tão grande que Margarette falou abertamente em investigar se houve “omissão intencional das imagens”, inclusive envolvendo o Corinthians. “Em uma casa simples, a pessoa não desliga o equipamento. Imagine em um CT, com jogadores valiosos… Deveria funcionar. As imagens não terem sido gravadas prejudicou muito”, constatou.

Cinco detidos

Dos cinco torcedores com mandado de prisão, só dois haviam sido detidos até agora: Tarcisio Baselli Diniz e Gabriel Monteiro de Campos. Danilo dos Santos Gomes foi preso por outra razão: estava armado na sede da Camisa 12. Entre os que ainda não foram localizados, está Tiago Aurélio dos Santos Ferreira, um dos acusados, no ano passado, na Bolívia, pela morte de Kevin Spada.

O Corinthians afirma também não saber o que aconteceu com as câmeras, que vão passar por perícia da polícia. Os equipamentos foram colocados também à disposição do Ministério Público, que faz investigação paralela.

Polícia apreende rojões ‘turbinados’, drogas e dinheiro nas organizadas

Além de resultar em três presos, a Operação Hooligans encontrou ontem (20) rojões turbinados, drogas e dinheiro nas sedes das torcidas organizadas do Corinthians, de acordo com a delegada Margarette Barreto, da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

Na sede da Camisa 12, foram apreendidos cinco rojões, sendo quatro deles modificados para “ampliar o impacto”. Na sede da torcida Gaviões da Fiel, a polícia apreendeu U$ 3.680 (R$ 8.733), além de aproximadamente R$ 2,1 mil. Em depoimento, membros da organizada afirmaram que o dinheiro era referente ao pagamento de um empréstimo da viagem para o Mundial.

Na quadra da Camisa 12, a polícia apreendeu R$ 18 mil e pequenas quantidades de maconha. Segundo a delegada, integrantes da torcida afirmaram que o dinheiro era referente à venda de ingressos.

 



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: