Câmara vota fim do simulador em autoescola | Diário Regional

Câmara vota fim do simulador em autoescola

16/02/2014 11:24
Print Friendly

Segundo ministério, uso do simulador pode reduzir pela metade o número de acidentes - Foto: DivulgaçãoA Câmara dos Deputados aprovou requerimento que acelera a tramitação de um projeto de decreto legislativo que cancela a obrigatoriedade para que as autoescolas tenham que dar aulas em simuladores de direção. Com isso, o projeto será votado na próxima semana, diretamente no plenário da Câmara, sem passar pelas comissões da Casa. A proposta é do líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE).

Segundo o deputado, há indícios de que a medida foi elaborada para beneficiar apenas quatro empresas que detêm a tecnologia dos simuladores, já que não há argumentos técnicos que justifiquem a medida.

O líder afirmou ainda que obrigatoriedade vai onerar os condutores, que pagarão entre 20% a 30% a mais para tirarem a carteira de motorista, uma vez que cada aparelho custa R$ 40 mil, fora o custo de manutenção. A ideia do sistema, segundo o Contran, é utilizar tecnologias de realidade virtual para o aprimoramento do processo de formação de motoristas.

Segundo o Ministério das Cidades, estudos feitos pelo governo norte-americano comprovaram que o uso do simulador de direção de carro pode reduzir pela metade o número de acidentes. Nos 24 primeiros meses após a retirada da habilitação, o equipamento ainda desenvolve as habilidades sensoriais e motoras do motorista, assim como os conhecimentos teóricos das regras de trânsito e o autocontrole emocional. Além disso, permitirá treinar os controles do veículo e se colocar em situações similares às que ocorrem em vias públicas antes das aulas práticas de volante.

O Departamento Nacional de Transito (Denatran), órgão do Ministério das Cidades, solicitou à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em 2009, a elaboração de estudos a respeito do uso simulador de direção para complementar a formação dos condutores. Os pesquisadores concluíram que o equipamento treinará os motoristas fora das vias públicas, o que garantirá a sua integridade física e a do instrutor.

Lucro

Reportagem da “Folha de S.Paulo” mostrou que uma das quatro empresas que vão dividir o mercado milionário de simuladores de direção para a formação dos motoristas tem como sócio um ex-assessor do Denatran que trabalhou no órgão quando essa exigência já era discutida.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: