Assinatura de contrato com a Sabesp em Diadema não tem data definida, diz Camillo | Diário Regional

Assinatura de contrato com a Sabesp em Diadema não tem data definida, diz Camillo

11/02/2014 11:24
Print Friendly

Camillo: “assinatura no dia 12 era só uma referência” - Foto: ArquivoA assinatura do contrato entre as companhias de Saneamento Básico de Diadema (Saned) e de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) foi adiada pela segunda vez. Um encontro com a presença de representantes da autarquia municipal, do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Sintaema) e da presidente da Sabesp, Dilma Pena, estava marcado para a tarde de hoje (11), mas foi adiado para sexta-feira (14) a pedido de Dilma. Segundo o diretor-presidente da Saned, Élbio Camillo Jr., o contrato não pode ser assinado antes de ser detalhado aos funcionários. Em princípio, a assinatura estava agendada para amanhã (12).

“Não haverá mais a assinatura do contrato no dia 12, porque não pode acontecer antes da reunião com os representantes dos trabalhadores. Na manhã de hoje (ontem), recebi a informação de que a Dilma pediu para adiar a reunião, porque vai tratar da questão do abastecimento de água no Estado. Na verdade, a assinatura no dia 12 era apenas uma referência. Não podemos assinar nada sem a anuência dos trabalhadores. Não há nova data para a assinatura, mas deve ocorrer até o final do mês”, disse Camillo à reportagem do Diário Regional.

A data para a assinatura do contrato foi passada pelo prefeito Lauro Michels (PV) na semana passada, durante a visita do governador Geraldo Alckmin (PSDB) a Diadema para a entrega da segunda carreta do programa Mulheres de Peito. Na ocasião, Michels chegou a declarar que o evento teria a participação do tucano, mas que o local ainda não estava definido. “Ainda temos alguns pequenos detalhes para discutir”, apontou Camillo.

O primeiro adiamento aconteceu no início de janeiro deste ano, porque a Procuradoria Geral do Estado (PGE) levantou questões relacionadas aos funcionários que seriam absorvidos pela Sabesp. Alckmin precisou interferir para liberar a contratação dos funcionários da Saned por parte da empresa estadual.

A reportagem apurou que uma cláusula no contrato previa a contratação dos funcionários por apenas dois anos, prorrogáveis por igual período. Os 293 funcionários da Saned serão absorvidos pela Sabesp, com equiparação salarial. “Não concordamos com essa cláusula e, por isso, estamos acompanhando de perto a elaboração da minuta do contrato. A Sabesp está brincando com coisa séria e a assinatura já está virando novela. Os trabalhadores estão preocupados. Se a cláusula não for alterada, a cidade poderá ter problemas”, afirmou o diretor de Saneamento e Meio Ambiente do Sintaema, Roberto Alves Silveira, o Gaúcho.

O retorno da Sabesp à prestação do serviço de fornecimento de água e coleta de esgoto em Diadema, aprovado em setembro de 2013 na Câmara, foi a solução encontrada por Michels como forma de zerar a dívida de R$ 1,1 bilhão junto à companhia. O débito se deve ao rompimento do contrato com a Sabesp pelo ex-prefeito José de Filippi Junior (PT), em 1993. Em contrapartida ao retorno, a Sabesp depositará nos cofres municipais cerca de R$ 95 milhões, que deverão ser aplicados em saneamento básico. O montante será pago em duas parcelas de R$ 47,5 milhões cada.

Também foi acordado o congelamento do preço de R$ 0,90 por metro cúbico de água pago pelos moradores de Diadema. O prefeito garantiu que a cobrança da tarifa social será mantida às famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social. O benefício, que possui validade de um ano, concede descontos de 37% até 61% na tarifa, dependendo da faixa de consumo. Segundo o chefe do Executivo, 8 mil famílias são cadastradas no programa.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: