Mesmo com recorde nas vendas, produção de veículos caiu 19% em janeiro no país | Diário Regional

Mesmo com recorde nas vendas, produção de veículos caiu 19% em janeiro no país

07/02/2014 10:00
Print Friendly

Moan: “Licenciamento só não foi melhor devido ao PSI” - Foto: Robson Fernandjes/Estadão ConteúdoO volume recorde de veículos vendidos em janeiro não foi suficiente para sustentar retomada mais firme da atividade nas montadoras. A produção do setor recuou 18,7% em relação a igual mês do ano passado, para 237,5 mil unidades. Ante dezembro houve avanço de 2,9%, segundo dados divulgados ontem (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

As vendas do início do ano foram impulsionadas, principalmente, pelo estoque de unidades com Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido, faturadas no ano passado. O tributo subiu em 1º de janeiro e elevou o preço dos carros fabricados neste ano.

As montadoras também aproveitaram o mês para fazer promoções, que atraíram os consumidores às lojas. Os dois fatores garantiram expansão de 0,4% nas vendas de janeiro contra igual período do ano passado. As 312,6 mil unidades vendidas representam volume recorde para meses de janeiro.

Executivos interpretaram o resultado como bom sinal para o início do ano após a decepção com o desempenho de 2013, quando o mercado teve a primeira queda em dez anos. O desempenho, porém, poderia ter sido melhor, especialmente no segmento de pesados.

“O licenciamento em janeiro foi o melhor de toda a história e só não foi melhor devido ao PSI (Programa de Sustentação do Investimento, linha de crédito do governo federal que teve as taxas alteradas), que foi colocado em operação em 27 de janeiro e prejudicou o comércio de caminhões e ônibus. Com mais tempo, o comércio teria sido melhor. No caso da produção houve queda porque as montadoras concederam férias coletivas até 20 de janeiro, o que gerou impactos na produção”, comentou o presidente da Anfavea, Luiz Moan.

A avaliação é de que ainda é cedo para cravar tendência de aquecimento de mercado neste ano. Uma desaceleração ao final do mês indica que o resultado de janeiro pode ter sido um caso pontual dentro da perspectiva tímida para 2014.

Expectativas

As previsões para o ano são de crescimento modesto do setor – aumento de 1,4% na produção, 1,1% nas vendas e de 1,6% nas exportações. Restrição do crédito, desaceleração no crescimento da renda das famílias e baixa confiança, fatores que atrapalharam o mercado em 2013, continuam a pesar nos negócios, somando-se ainda aos feriados da Copa do Mundo.

Para a produção, além do mercado interno morno, há a perspectiva de piora nas exportações com as restrições impostas pela Argentina. Em janeiro, os embarques caíram 28,9%, para 25.779 unidades – sinal de que as barreiras no vizinho já surtem efeito. Em 2013, as exportações ajudaram a garantir o avanço recorde da produção, apesar da retração nas vendas internas.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: