ONU pede ao Vaticano que denuncie padres pedófilos | Diário Regional

ONU pede ao Vaticano que denuncie padres pedófilos

06/02/2014 10:20
Print Friendly

Relatório do Comitê da ONU sobre os Direitos da Criança pede que o Vaticano afaste de seus cargos todos aqueles que abusaram sexualmente de crianças e os denuncie à justiça. Já o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, disse que a Igreja afronta os casos de pedofilia com transparência.

O comitê pede à Santa Sé para “afastar de imediato de suas funções todos os autores conhecidos e suspeitos de abusos sexuais de crianças, assim como denunciá-los às autoridades competentes para que os investiguem e sejam processados”.

O relatório foi divulgado após uma audiência realizada no mês passado em Genebra, em que os membros da comissão, composta por 18 especialistas em direitos humanos de todo o mundo, que questionou o Vaticano sobre sua política contra a pedofilia.

No relatório, a comissão afirma que a Igreja Católica não fez o suficiente para cumprir o seu compromisso de erradicar a pedofilia.

“O comitê da ONU sublinha a sua profunda preocupação com o abuso sexual de crianças por membros de igrejas católicas que operam sob a autoridade da Santa Sé, e lembrou que os crimes cometidos por religiosos preocupação dezenas de milhares de crianças ao redor do mundo” disse o relatório.

‘Extensão dos crimes’

“A Comissão está muito preocupada que o Vaticano não reconhece a extensão dos crimes cometidos, não tomou as medidas apropriadas para lidar com casos de pedofilia nem tomou medidas para proteger as crianças ou adotou políticas e práticas que levaram à continuação da abuso e impunidade dos agressores”, acrescentou o relatório.

O documento critica especialmente a política de trocar padres pedófilos de paróquia, uma prática considerada como tentativa de encobrir os crimes e evitar que sejam julgado pelas autoridades civis.

De acordo com o relatório, “a prática tem permitido a muitos sacerdotes de permanecerem em contato com as crianças e continuarem a abusar delas”.

Em encontro da Conferência Episcopal Espanhola, Lombardi, disse que a Igreja afronta os casos de pedofilia com transparência e explicará nas próximas semanas o funcionamento de uma comissão criada para preveni-los após perguntado sobre o relatório da ONU.

A Santa Sé disse em comunicado que irá submeter a “minuciosos estudos e exames” as acusações recebidas da ONU, mas também vê as ações como uma “tentativa de interferir no ensinamento da Igreja Católica, sobre a dignidade das pessoas e no exercício da liberdade religiosa” no que diz respeito a pontos do relatório relacionados aos ensinamentos da Igreja sobre anticoncepcionais e aborto.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: