Morte em UPA marca primeira sessão do ano na Câmara de São Bernardo | Diário Regional

Morte em UPA marca primeira sessão do ano na Câmara de São Bernardo

06/02/2014 14:30
Print Friendly, PDF & Email

Ferreira descarta abertura de comissão mista sobre o caso - Foto: ArquivoA morte de Maria dos Santos Diogo na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Vila São Pedro, no início de janeiro, marcou a primeira sessão da Câmara de São Bernardo, ontem (5). Parentes e amigos foram à Casa pedir que os vereadores formassem comissão mista para averiguar o caso, mas o líder do governo, José Ferreira (PT), descartou a proposta.

“Não há necessidade de comissão. Todo nosso trabalho como vereador sobre questões de investigação, no final, acaba indo para o Ministério Público, que vai avaliar a demanda e decidir se vai abrir inquérito ou não para fazer essa apuração”, destacou.

A filha da paciente, Roseli Santos, entrou com processo no Ministério Público (MP) e a promotoria está fazendo investigação preliminar do caso. Além do MP, a Secretaria de Saúde abriu sindicância para investigar a ocorrência. A Câmara vai designar as comissões de Direitos Humanos e Saúde para acompanhar as investigações.

João Diogo, viúvo de Maria, esteve no Legislativo e esclareceu o conteúdo da reunião com a secretária de Saúde, Odete Carmem Gialdi. “ (Odete) me chamou para conversar e pediu desculpas em nome da prefeitura. Porém, estamos aqui para exigir uma saúde melhor, pois não quero que aconteça com outras pessoas o que aconteceu com minha esposa”, disse.

Maria foi internada no dia 17 de janeiro na UPA da Vila São Pedro devido à diabete. No dia 21, após o banho, a paciente foi colocada em uma maca, a qual, segundo a família, quebrou. Maria teria caído e batido a cabeça no chão. A família teria levado a munícipe ao Pronto-Socorro Central para averiguar o trauma.

Segundo familiares, o início do tratamento para o trauma ocorreu dia 24, após nova consulta na UPA Vila São Pedro, onde Maria veio a falecer. A família, que registrou boletim de ocorrência, está organizando manifestação para o próximo sábado (8), em frente a UPA da Vila São Pedro.

Projeto

O único projeto do Executivo debatido pelos parlamentares foi a concessão de seis áreas para a Secretaria de Segurança Pública do Estado. Duas seriam destinadas para novas unidades do Corpo de Bombeiros, uma para o 9º Destacamento Montado da Polícia Militar (PM) Metropolitana, uma para 1ª Companhia do 40º batalhão da PM e mais duas para o 6º batalhão.

Mesmo com o parecer favorável das comissões, a matéria não foi votada, pois os vereadores Antônio Cabrera (PSB) e Antônio Carlos da Silva, o Toninho da Lanchonete (PT), ficaram com dúvidas sobre o projeto. Uma das áreas destinadas ao 6º batalhão da PM já foi doada à companhia em 1998.

Segundo justificativa da prefeitura, o terreno passaria de uma doação para concessão de direito real de uso pelo prazo de 30 anos. Mesmo assim, os parlamentares resolveram não votar o projeto e pedir esclarecimentos ao Executivo.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: