Protesto contra troca de empresa termina com sete ônibus destruídos em Mauá

20/10/2013 8:49
Print Friendly

eículos estacionados foram incendiados por dois homens no Jardim Guapituba. Foto: Evandro Oliveira/PMMA entrada de uma nova empresa de ônibus em Mauá desencadeou uma onda de vandalismo na cidade. Quatro ônibus foram incendiados e outros três, depredados, na manhã de ontem (19). Os coletivos são da empresa Suzantur, contratada em caráter emergencial para operar o transporte coletivo da cidade, depois que o prefeito Donisete Braga (PT) rescindiu os contratos com as duas empresas que prestavam o serviço de transporte coletivo na cidade.

A ação foi provocada por ao menos dois homens que carregavam galões com produto inflamável e atearam fogo nos veículos. Outro coletivo foi incendiado assim que chegou ao terminal do Jardim Bogus, na Avenida Itapark. O motorista e o cobrador ainda conseguiram salvar um homem que dormia na parte de trás do ônibus. A empresa resolveu recolher os outros coletivos.

A Suzantur iniciou, ontem, a operação de cinco linhas, com 50 ônibus, em substituição aos coletivos das empresas que tiveram os contratos rescindidos. A contratação emergencial estabelece também que, no prazo de 30 dias, a empresa substituirá a totalidade de 200 veículos da frota que serve à cidade, operada pela Viação Cidade de Mauá e pelo Grupo Leblon.

Segundo a prefeitura, as duas concessionárias foram declaradas inidôneas no início de setembro por fraude no sistema de bilhetagem, descumprimento de contratos, manutenção de frota sucateada e desrespeito aos horários. Ambas foram multadas pela prefeitura: a Leblon em R$ 12 milhões e a Viação Cidade de Mauá em R$ 8,4 milhões.

Porém, o Grupo Leblon obteve liminar que garante a circulação total dos 92 ônibus. A empresa opera o lote 2, que reúne 19 linhas. Sob responsabilidade da Viação Cidade de Mauá, o lote 1 soma 31 linhas e 130 veículos. No total, são 52 linhas e 220 veículos.

Protesto
O protesto teria começado no momento em que os trabalhadores foram impedidos de assumir seus postos de trabalho, no Jardim Guapituba, graça ao rompimento do contrato. Os manifestantes, então, tacaram fogo nos coletivos por volta das 6h. Três foram incendiados no local e outro no Itapark, onde o fogo atingiu a fiação elétrica. A Polícia instaurou inquérito para apurar o caso.

A substituição integra o esforço da prefeitura de renovar o sistema de transporte coletivo da cidade, que será completado no primeiro trimestre de 2014, quando entra em vigor a integração tarifária entre ônibus e trem, autorizada nessa semana pelo governo do Estado. A integração vai custar R$ 5,50 e proporcionar economia de R$ 1 por dia para o passageiro.

Palavras-chave:

1 Comentário

  • Palmeirense

    Esta claro que foi as empresas descredenciadas que atearam fogo, quem teria interesse nisso, o tráfico? claro que não,fazer negócio com bandido da nisso.

Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e serão removidos.